segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

A CRIAÇÃO EM 7 DIAS

Este estudo é baseado no que esta registrado na bíblia, mas existem outras teorias para explicar criação.

Antes de começar a esmiuçar o sete dias da criação, vamos desmentir um verso deturpado pela teologia e pelas religiões que é o seguinte: Toda a escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir  para corrigir, para instruir em justiça;  II Tm 3:16. (versão João Almeida e Pastoral Católica). Este trecho da carta de Paulo é distorcido pelos religiosos para tentar afirmar que a bíblia toda é inspirada por Deus, só que não.

Agora vamos a leitura correta: Toda a escritura divinamente inspirada, "é" proveitosa para ensinar, para redarguir  para corrigir, para instruir em justiça. Percebeu a diferença? De onde vem tanta inspiração dos autores? De espíritos invisíveis? De deuses que gostam de se esconder? Vamos tentar entender o que o autor do primeiro livro da bíblia quer dizer.

**
Primeiro dia
E disse Deus: Haja luz; e houve luz. E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas. E Deus chamou à luz dia; e às trevas chamou noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro; Gn 1:3-5. Pergunta: Que tipo de luz é essa? Luz do sol? Luz da lua e estrelas que iluminam o globo à noite? Sol, lua e estrelas não são, pois eles elementos só foram feitos no 4º dia; Gn 1:14-19. Seria então essa luz, uma luz de entendimento humano? Talvez, mas a sabedoria do homem é sempre incompleta. Espiritual? Pouco provável pois o conhecimento espiritual ou religioso que os homens possuem não serve nem para lhes dar paz. Logo pode ser qualquer luz, mesmo a do sol.

** 

Segundo dia
E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. E fez deus a expansão / firmamento, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão; e assim foi. E chamou Deus à expansão “céu”, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo; Gn 1:6-8. Na versão linguagem de hoje temos: Que haja no meio das águas uma divisão para separá-la em duas partes. Águas na linguagem bíblica são povos e multidões que podem se referir a milhares de pessoas. Separação no meio das águas, mas porque no meio? Dá a entender que era para dividir as nações, para que a humanidade não fosse uma.


**

Terceiro dia
E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca; e assim foi. E chamou deus à porção seca terra; e ao ajuntamento das águas chamou mares; e viu deus que era bom. E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi. E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro; Gn 1:9-13.

Águas são povos e nações, esse ajuntamento das águas chamado de mares não são rios e água do mar literalmente falando, pois o globo é composto de 80% de água, divididos entre água salgada e doce, e + ou - 30% de terra seca, logo seria impossível toda a água do planeta se ajuntar num lugar só. 


Não havia povos, nações, reinos nessa época, havia apenas um aglomerado de pessoas ou centenas delas que falavam todos a mesma língua. A intenção deles era construir uma torre para não serem espalhados, eles queriam se manter unidos, pois o povo eram um. Mas dentro do projeto de Jeová nunca foi que os homens fossem um, por isso desceu com os outros de seu bando e trouxe a confusão das línguas, e os espalhou por toda a face da terra. Terra seca então significa terra não habitável

Continuando: Produza a terra erva verde... Dentro do processo da fotossíntese que é a transformação do gás carbônico em compostos orgânicos, isso só é possível através da luz e da energia solar, mas o sol só foi criado no quarto dia, logo essa narrativa também não é literal. Então o que são essas ervas? Essas ervas são seres humanos, vamos a leitura do texto que comprova isso: Toda a carne é erva e toda a sua beleza como a flor do campo. Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o hálito de Jeová. Na verdade o povo é erva; Is 40:6-7 / Mt 13:26. 

Arvores frutíferas são reinos poderosos e as sementes dando o fruto segundo a sua espécie são variados tipos de raças de seres humanos se multiplicando sobre a face da terra.


**

Quarto dia
E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos. e sejam para luminares na expansão dos céus, para iluminar a terra; e assim foi. E fez Deus os dois grandes luminares: O luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas. E deus os pôs na expansão dos céus para iluminar a terra, e para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas; e viu deus que era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia quarto; Gn 1:14-19.

Os grandes luminares o sol e a lua, só foram criados no quarto dia, logo é impossível numa ótica literal que as ervas e as arvores fossem criadas antes, e já estivessem dando frutos. Então esse sol, lua e estrelas também não são literais. O sol criado no quarto dia alegórico da criação pode ser qualquer coisa.


**
Quinto dia 
E disse Deus: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; e voem as aves sobre a face da expansão dos céus. E Deus criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom. E Deus os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei as águas nos mares; e as aves se multipliquem na terra. E foi a tarde e a manhã, o dia quinto; Gn 1:20-23.

Esses animais não são animais, esses répteis não são répteis, e os mares não são águas das praias nem dos oceanos, analisemos o que significam esses símbolos. Os répteis: Pelo Aurélio temos a seguinte definição de réptil como figura de determinados tipos de pessoas: “pessoas de instintos inferiores, subserviente, capaz de todas as humilhações para atingir seus objetivos”
Na bíblia encontramos figuras de linguagem usando répteis para seres humanos de baixo nível; At 10:10-16 / Hb 1:14.

As aves do céu simboliza demônios; Mc 4. E baleias, significa o ventre desse planeta imundo e fétido. Vamos imaginar cada nação sendo uma grande baleia produzindo milhares de outras pequenas baleias. Finalizando então este quinto dia alegórico temos: Os répteis que são as pessoas com seus costumes e práticas imundas, as águas ou mares são os povos, as nações se multiplicando e as grandes baleias são as grandes potências mundiais. 

**
Sexto dia
E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi. E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu deus que era bom. E disse Deus: Façamos (Jesus homem dialogando com seu pai) o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança... E criou deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou; Gn 1:24-27.

Os animais formados no quinto dia são diferentes dos produzidos no sexto dia. Os animais do quinto dia são produzidos pelas águas e os animais do sexto dia são produzidos pela terra. Mas qual é a diferença? Bom, os animais do sexto dia são homens (gado, réptil e bestas feras), que podem ser governados, pois são da terra. Lembrando que os animais produzidos pelas águas são se pode dominar; Hc 1:14. Toda essa produção de diferentes tipos de seres humanos não aconteceu em dia humano de 24h, mas foi acontecendo ao longo da história. Os homens produzidos pela terra são homens mais evoluídos no quesito intelectual.


O homem criado em Gn 1:27 não é o mesmo de Gn 2:7 e a narrativa de Gn 2:7 não é continuação do homem criado em Gn 1:27. Em gêneses 2:4 temos a seguinte narrativa: Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor deus fez a terra e os céus. Mas no hebraico esta “toldot” que significa geração.

Então o correto é: Estas são as gerações dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que YHWH Elohin fez a terra e os céus. No capítulo dois de gêneses é a narrativa de uma geração de homens materiais que viria, e não de um único homem.

**

Sétimo dia
Assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados. E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera; Gn 2:1-3.

Sábado tem o significado de descanso de obras. Pergunta: Existe desanco de alguma alma vivendo nesse mundo? Ninguém tem descanso completo vivendo nesse mundo. O dia do descanso dos homens e de suas obras é a morte, esse é o sábado dos homens.

Resumo
Os sete dias alegóricos da criação, nada mais é do uma narrativa recheada de símbolos e é uma narrativa profética do que seria o início da humanidade. Se tudo isso é verdade ou não, quem sabe. É uma bela fabula profética. Narrativa cheia de mensagens ocultas, abrindo espaço para cada qual tirar suas conclusões.