sábado, 25 de outubro de 2014

PARTO VIRGEM - PARTENOGÊNESE


Uma cobra de 11 anos que nunca tinha tido contato com nenhum macho deu à luz seis filhotes no Zoológico de Louisville, no estado do Kentucky, nos Estados Unidos. A equipe do zoológico e pesquisadores da Universidade de Tulsa comprovaram, desta forma, que a espécie é capaz de fazer partenogênese, ou "parto virgem", quando a reprodução ocorre sem fecundação. O parto, ocorrido em 2012, foi a primeira ocorrência desse tipo já registrada para a espécie de cobra. O achado foi publicado na revista científica "Biological Journal of the Linnean Society" em julho. "Estamos muito orgulhosos de termos contribuído para o cânone do que o mundo sabe sobre essa espécie", declarou o zoológico, em um post em sua página do Facebook. Fonte G1

A reprodução sexuada se dá com a união de um macho e uma fêmea, e o encontro de dois gametas diferentes, ocorrendo então à fecundação. O resultado é o desenvolvimento de um novo ser em que o fenótipo apresenta metade dos cromossomos oriundos do gameta feminino e outra metade do gameta masculino. Mas na natureza se verifica em algumas espécies o desenvolvimento de um novo ser sem que ocorra a fecundação que é uma reprodução ASSEXUADA. Ou seja, no interior do corpo da fêmea, o gameta começa a sua divisão, resultando num novo ser com apenas material genético feminino. E este fenômeno dá-se o nome de Partenogênese. A Partenogênese é comum acontecer em plantas agamospérmicas, e alguns invertebrados como por exemplo: Pulgas de água, abelhas e etc. Também é comum acontecer com alguns vertebrados como: Peixes, lagartos, salamandras, perus e etc.

Quando se verifica Partenogênese um vertebrados, um pico de cálcio prepara o óvulo para fertilização sem o gameta masculino, e um erro de divisão pode fazer com que o óvulo se comece a dividir. Resultado: O novo ser terá exatamente o mesmo material genético que a progenitora. Em seres humanos, a Partenogênese é apenas teoria e conto. Nunca se verificou um caso de Partenogênese em humanos. A bíblia relata um caso, mais concretamente no nascimento de Jesus num parto virgem de Maria. O fato de Maria ter dado à luz um macho não encaixa na definição de Partenogênese, uma vez que o filho só teria material genético feminino, logo não poderia ter o cromossoma Y que leva ao desenvolvimento de um rapaz.  A veracidade do que é escrito na Bíblia é questionado por centenas de pessoas, e a forma como olhamos para esses textos hoje em dia é bem diferente da forma como as pessoas analisavam no passado. Vamos supor que no caso de Maria tivesse ocorrido a Partenogênese, logo Jesus seria uma mulher, ou melhor, seria um clone de Maria e jamais macho. Que Jesus foi homem, isso jamais foi questionado.

Leia o estudo sobre Maria uma falsa virgem e tire suas conclusões a partir dessas informações. Clique aqui